A marcha do Estado racional hegeliano: uma reflexão sobre os múltiplos momentos da unidade do espírito

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Álvaro Körbes Hauschild

Resumo

O objetivo deste texto é refletir sobre o conceito hegeliano de Estado, analisando seus principais elementos ou momentos, não sem observar a peculiaridade do sistema de Hegel, o caráter racional do Estado. Um leitor atento poderá notar em Hegel uma preocupação permanente com o paradoxo que já sacudia Parmênides, a saber o do uno e o múltiplo. Pois bem, o Estado hegeliano tem por objetivo conciliar a multiplicidade das particularidades, em sua subjetividade, com a unidade objetiva da ordem comunitária. Sendo um pensador moderno, Hegel enfatiza a importância da particularidade na composição do todo orgânico do Estado; mas, por outro lado, resgatando bastante dos conceitos antigos, tanto de Platão quanto de Aristóteles, Hegel não deixa de exigir que a disposição destas particularidades seja voltada para a universalidade do corpo orgânico objetivo.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
HAUSCHILD, Álvaro Körbes. A marcha do Estado racional hegeliano: uma reflexão sobre os múltiplos momentos da unidade do espírito. Revista Opinião Filosófica, [S.l.], v. 9, n. 2, p. 334-361, fev. 2019. ISSN 2178-1176. Disponível em: <http://periodico.abavaresco.com.br/index.php/opiniaofilosofica/article/view/879>. Acesso em: 27 maio 2019.
Seção
Varia