Loucura e Historicidade: Perspectivas Bioéticas

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Josenir Lopes Dettoni

Resumo

O presente artigo examina, sob o enfoque da Bioética, o tema da loucura. Este trabalho tem como objetivo analisar filosoficamente a historicidade da concepção da loucura, os consequentes tratamentos tradicionalmente utilizados para seu enfrentamento e os elementos constituintes do conceito de normalidade. Para isso, com a ajuda de uma revisão de literatura, é traçado um breve percurso histórico de como a loucura foi definida e tratada desde a Idade Média até a atualidade. Assim, a perspectiva religiosa medieval é considerada, bem como as modernas tendências racionalistas e empiristas sobre o tema. Seguindo tal percurso, chega-se à contemporaneidade com suas duas principais concepções sobre a loucura: doença ou fenômeno cultural. Destarte, indicando tendências teóricas acerca do fenômeno da loucura, busca-se auxiliar sua melhor compreensão, diagnóstico e correspondente tomada de decisão terapêutica, contribuindo para tornar a prática clínica mais eficaz em seu propósito de aliviar ou curar distúrbios e promover saúde psíquica aos que a ela recorrem.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
DETTONI, Josenir Lopes. Loucura e Historicidade: Perspectivas Bioéticas. Revista Opinião Filosófica, [S.l.], v. 9, n. 2, p. 45-61, fev. 2019. ISSN 2178-1176. Disponível em: <http://periodico.abavaresco.com.br/index.php/opiniaofilosofica/article/view/872>. Acesso em: 27 mar. 2019.
Seção
Artigos