A tensão entre concepções morais e políticas na era do individualismo democrático

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Walter Valdevino Oliveira Silva

Resumo

Em sociedades democráticas liberais, até onde vai o poder do Estado para tutelar a vida privada das pessoas? Por que até mesmo filósofos liberais defensores de um Estado mínimo que não deve intervir na relação entre os cidadãos nem em escolhas individuais a não ser que haja dano para alguma parte acabam recorrendo a concepções "maximalistas" quando se trata de analisar questões morais? Não estariam, assim, entrando em contradição com os próprios princípios democráticos, laicos e pluralistas que defendem politicamente? Em plena época de crise do dever categórico e de difusão da ética indolor do individualismo democrático, estamos prontos para verdadeiramente assumir a reivindicação pelos ideais modernos de liberdade e igualdade, ou ainda dependemos de formas tradicionais de paternalismo?

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
OLIVEIRA SILVA, Walter Valdevino. A tensão entre concepções morais e políticas na era do individualismo democrático. Revista Opinião Filosófica, [S.l.], v. 1, n. 1, fev. 2017. ISSN 2178-1176. Disponível em: <http://periodico.abavaresco.com.br/index.php/opiniaofilosofica/article/view/81>. Acesso em: 04 jul. 2020.
Seção
Artigos