A Liberdade Negativa como Política do Espírito em Hegel

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Luis Magno Veras Oliveira

Resumo

Este artigo tem por objetivo apresentar a liberdade negativa como momento de vitalidade na formação da liberdade absoluta, representada pela consciência moral, como processo necessário de efetivação na representação política a partir da Fenomenologia do Espírito de Hegel. No primeiro momento, apresentaremos a compreensão da liberdade absoluta e o desdobramento de seu conceito como vontade universal. No segundo momento, discutimos a concepção da liberdade negativa como uma experiência da Revolução Francesa e seu resultado como terror. A experiência da liberdade negativa é compreendida enquanto o meio possível na solução da contradição, da destruição e da morte, oriundo da representação política da Revolução Francesa. A hermenêutica apresentada se direciona para exaltação positiva da liberdade negativa como via de solução possível dos problemas de uma representação da liberdade absoluta como realmente racional.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
OLIVEIRA, Luis Magno Veras. A Liberdade Negativa como Política do Espírito em Hegel. Revista Opinião Filosófica, [S.l.], v. 7, n. 2, p. 270-285, mar. 2017. ISSN 2178-1176. Disponível em: <http://periodico.abavaresco.com.br/index.php/opiniaofilosofica/article/view/700>. Acesso em: 18 ago. 2017.
Seção
Dossiê