Liberalismo e o lugar da religião: uma abordagem rortyana sobre o problema público-privado do discurso religioso

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

André Oliva Donadia Filicio Mulinari

Resumo

Muitos filósofos contemporâneos têm se debruçado sobre o lugar e os possíveis limites do discurso religioso na esfera pública. Nesse debate, Richard Rorty defende que o discurso religioso está em desacordo com os ideais liberais de esfera pública. Como resultado de sua análise, Rorty defende que a religião deve ser mantida no âmbito privado com o intuito de que o Estado liberal possa se manter neutro nas questões pessoais dos indivíduos que o compõem, preservando a liberdade e autonomia dos cidadãos. Para demonstrar as escolhas que constituem a posição de Rorty, o trabalho analisará, em particular, três posicionamentos que Rorty defende em seus escritos e que fundamentam sua visão sobre o problema: o primeiro argumento, a de que a religião deve ser privatizada; o segundo, a defesa da marginalização das organizações eclesiásticas; o terceiro, de que defender o pragmatismo resulta em defender uma utopia liberal secular. Assim sendo, o objetivo desse trabalho é, além de expor a posição de Rorty sobre o problema, explicar como os argumentos de base surgem do compromisso de Rorty com seu neopragmatismo e como eles se encaixam dentro da lógica liberal antifundacionista proposta pelo autor.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
DONADIA, André Oliva; MULINARI, Filicio. Liberalismo e o lugar da religião: uma abordagem rortyana sobre o problema público-privado do discurso religioso. Revista Opinião Filosófica, [S.l.], v. 7, n. 2, p. 28-47, mar. 2017. ISSN 2178-1176. Disponível em: <http://periodico.abavaresco.com.br/index.php/opiniaofilosofica/article/view/687>. Acesso em: 21 out. 2017.
Seção
Artigos