O conceito de Justiça entre mito e filosofia: arte poética e arte retórica em Antifonte e Ésquilo

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Anna Silva

Resumo

Este artigo trata de Antifonte de Atenas (480-411 a.C.), cuja obra representa os mais antigos registros literários que nos chegaram acerca da retórica judiciária e das leis de homicídio. Utilizarei os fragmentos e discursos de Antifonte como signos da evidência da continuidade entre a reflexão esquiliana e a reflexão filosófica acerca da justiça, continuidade que se dá de modo complexo, comportando tanto rupturas quanto permanências.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
SILVA, Anna. O conceito de Justiça entre mito e filosofia: arte poética e arte retórica em Antifonte e Ésquilo. Revista Opinião Filosófica, [S.l.], v. 7, n. 2, p. 5-27, mar. 2017. ISSN 2178-1176. Disponível em: <http://periodico.abavaresco.com.br/index.php/opiniaofilosofica/article/view/686>. Acesso em: 18 ago. 2017.
Seção
Artigos