A Discussão Acerca Da Pobreza Eclesiástica e o Seu Papel No Defensor Pacis De Marsílio De Pádua

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Lucas Duarte Silva

Resumo

Nos séculos XIII e XIV encontramos um intenso debate intelectual sobre a questão da pobreza evangélica. O tema, de matriz teológica, teve grandes implicações políticas, refletindo nos modelos ético-políticos dos pensadores da época. O presente trabalho busca apresentar como Marsílio de Pádua compreendeu a questão da pobreza em seu projeto de desmantelamento do absoluto poder papal, exposto no Defensor Pacis, de 1324. Para tanto, dividirei o texto em duas seções: em (i) apresentarei algumas das principais características e conceitos envolvidos no debate acerca da pobreza; em (ii) mostrarei como Marsílio entende a pobreza evangélica no seu pensamento eclesiástico-político. Enfatizarei, em especial, como o paduano entende o voto de pobreza como o verdadeiro ideal de vida apostólica e necessário para que os clérigos cumpram a sua função pedagógica na sociedade; ao mesmo tempo em que não possuem dominium nem poder coercivo no plano terreno, uma vez que seu papel seria apenas espiritual.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
DUARTE SILVA, Lucas. A Discussão Acerca Da Pobreza Eclesiástica e o Seu Papel No Defensor Pacis De Marsílio De Pádua. Revista Opinião Filosófica, [S.l.], v. 6, n. 2, fev. 2017. ISSN 2178-1176. Disponível em: <http://periodico.abavaresco.com.br/index.php/opiniaofilosofica/article/view/675>. Acesso em: 05 jul. 2020.
Seção
Varia