Niilismo, Ressentimento e Patologia: A Filosofia de Schopenhauer como Sintoma da Decadência Cultural Europeia Segunda a Crítica de Friedrich Nietzsche

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Eli Vagner Rodrigues

Resumo

Pretende-se neste artigo abordar o problema da relação entre o ressentimento e a formação dos juízos morais presentes na obra de Schopenhauer a partir de uma perspectiva crítica proposta por Nietzsche que tem suas bases na constatação de que existe na ética ocidental um enfraquecimento das posturas afirmativas da vida como resultado de uma decadência fisiopatológica que influencia a ordem dos juízos morais sobre a existência humana. A ética niilista de Schopenhauer seria um exemplo de uma desagregação dos instintos afirmativos vitais configurando-se por isso como uma moral da fraqueza e, consequentemente um sintoma da decadência cultural europeia.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
VAGNER RODRIGUES, Eli. Niilismo, Ressentimento e Patologia: A Filosofia de Schopenhauer como Sintoma da Decadência Cultural Europeia Segunda a Crítica de Friedrich Nietzsche. Revista Opinião Filosófica, [S.l.], v. 6, n. 2, fev. 2017. ISSN 2178-1176. Disponível em: <http://periodico.abavaresco.com.br/index.php/opiniaofilosofica/article/view/672>. Acesso em: 20 jun. 2019.
Seção
Varia