Um paralelo entre a noção hegeliana de reconhecimento e a noção aristotélica de amizade pela virtude

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Matheus Pelegrino Silva

Resumo

No presente artigo é estabelecido um paralelo entre a noção aristotélica de
amizade pela virtude e a noção hegeliana de reconhecimento. Em um primeiro estágio
estuda-se a amizade pela virtude, tendo especial na explicação das rações pelas quais
um homem virtuoso precisa de amigos e analisando as diferentes interpretações sobre o
tema. Segue-se a essa análise da amizade pela virtude a explicação do modo como
Hegel descreve e aplica, na dialética do senhor e do escravo, a noção reconhecimento.
Para concluir o estudo através da reunião das informações coletadas sobre os dois
tópicos procede-se à identificação e apresentação da principal semelhança entre a
amizade pela virtude e a noção de reconhecimento.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
PELEGRINO SILVA, Matheus. Um paralelo entre a noção hegeliana de reconhecimento e a noção aristotélica de amizade pela virtude. Revista Opinião Filosófica, [S.l.], v. 1, n. 2, fev. 2017. ISSN 2178-1176. Disponível em: <http://periodico.abavaresco.com.br/index.php/opiniaofilosofica/article/view/591>. Acesso em: 04 jul. 2020.
Seção
Artigos