O Conceito de Sociedade Civil e a sua Dialética de Interação Social e de Integração Institucional

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Tarcilio Ciotta

Resumo

O objetivo deste trabalho é fazer uma análise dos diferentes momentos da constituição lógica (particularidade/universalidade) e prática (institucional) do conceito de sociedade civil em Hegel, a partir de sua obra, a Filosofia do Direito, e demonstrar pela exposição deste conceito como o princípio da liberdade subjetiva, que é a marca que distingue os tempos modernos de toda a história passada, encontra, na sociedade civil, o lugar apropriado do seu livre desenvolvimento, tendo como móvel de sua ação a realização dos fins particulares, mediados, subjetivamente, pela autodeterminação da vontade, e objetivamente, pelas diferentes instituições da sociedade civil. Estas instituições desencadeiam um processo de interação social e de integração institucional dos indivíduos isolados e os induz a constituir formas de vida comunitária, como formas de mediação prática de integração entre a vontade particular e a vontade universal. No entanto, a sociedade civil mostra-se insuficiente para levar a termo esse processo. Cabe ao Estado, como instância de integração superior, do ponto de vista institucional, ético e político, concluir este processo de mediação da liberdade.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
CIOTTA, Tarcilio. O Conceito de Sociedade Civil e a sua Dialética de Interação Social e de Integração Institucional. Revista Opinião Filosófica, [S.l.], v. 4, n. 2, fev. 2017. ISSN 2178-1176. Disponível em: <http://periodico.abavaresco.com.br/index.php/opiniaofilosofica/article/view/549>. Acesso em: 08 ago. 2020.
Seção
Artigos