Filosofia, Saber Absoluto e Ciência: da Fenomenologia do Espírito à Ciência da Lógica

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Marloren Lopes Miranda

Resumo

O objetivo deste trabalho é analisar algumas questões a respeito da relação entre os conceitos hegelianos de filosofia, ciência e saber absoluto na passagem da Fenomenologia do Espírito à Ciência da Lógica. Hegel tem em mente a revolução kantiana na filosofia, que buscou mudar o método pelo qual vinha sendo feito filosofia, isto é, regular o conhecimento não mais pelos objetos, mas pelo sujeito. O que Hegel defende, no entanto, é que Kant não teria realizado completamente essa revolução, mantendo-se apenas na esfera da subjetividade, sem chegar à objetividade, que, de acordo com Hegel, é essencial para o fazer científico. Hegel estaria propondo, então, outro método, que pretenderia contemplar tanto a subjetividade quanto a objetividade, elevando, finalmente, a filosofia à condição de ciência. Pretendemos, aqui, compreender que método é este e como ele permite que a filosofia seja compreendida como ciência.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
LOPES MIRANDA, Marloren. Filosofia, Saber Absoluto e Ciência: da Fenomenologia do Espírito à Ciência da Lógica. Revista Opinião Filosófica, [S.l.], v. 4, n. 2, fev. 2017. ISSN 2178-1176. Disponível em: <http://periodico.abavaresco.com.br/index.php/opiniaofilosofica/article/view/546>. Acesso em: 26 fev. 2020.
Seção
Artigos