Erscheinen e Scheinen: uma questão de aparência na Ciência da Lógica de Hegel a partir de uma leitura marxista

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Greice Ane Barbieri

Resumo

O presente artigo teve como mote leituras introdutórias a alguns escritos de Marx e, nesse sentido, tem um tom muito mais questionador do que afirmativo no que concerne a este autor. Ao mesmo tempo, a leitura de Marx acaba por impulsionar algumas reflexões sobre dois conceitos importantes para a Lógica da Essência (segundo livro da Ciência da Lógica), a saber, o de Schein e Erscheinung e sua interpretação marxiana. Marx faz o diagnóstico de fenômeno moderno: o do desaparecimento da esfera pública em favor da esfera privada, preocupada com a produção e o sistema de carências. E este sistema de carências, impondo-se isoladamente, mostra-se inessencial a uma natureza peculiarmente humana. Mas essa é uma visão parcial das instituições humanas. Nesse ponto, seria importante, então, lembrar o que Hegel tem a nos dizer sobre a aparência e o aparecimento enquanto categorias lógicas. A partir desse ponto, o artigo visa fazer uma exposição de ambos os conceitos de forma a ressaltar a natureza dual das manifestações da essência humana.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
ANE BARBIERI, Greice. Erscheinen e Scheinen: uma questão de aparência na Ciência da Lógica de Hegel a partir de uma leitura marxista. Revista Opinião Filosófica, [S.l.], v. 4, n. 2, fev. 2017. ISSN 2178-1176. Disponível em: <http://periodico.abavaresco.com.br/index.php/opiniaofilosofica/article/view/543>. Acesso em: 21 nov. 2018.
Seção
Artigos