A relação de substancialidade na Ciência da Lógica

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Greice Ane Barbieri

Resumo

O trabalho buscará apresentar a relação de substancialidade tal como exposta na Ciência da Lógica, de Hegel. Mas, antes dessa apresentação, cabem alguns comentários, de forma a enquadrá-la, grosso modo, dentro do sistema hegeliano, elucidando a sua função. Embora portadora de um título pretensamente formal, a Ciência da Lógica hegeliana não pode ser descrita como um manual de lógica: antes pelo contrário, a tal obra a classificação mais adequada é a de ser uma ontologia. Tendo tal característica, a lógica hegeliana baseia-se nos princípios que regem a realidade, tomando-os da própria realidade. Isso pode conferir à relação de substancialidade uma marcante importância dentro do encadeamento do sistema hegeliano da lógica e, mesmo, da filosofia real, uma vez que os pressupostos da lógica baseiam-se na reflexão sobre as categorias que foram, em última instância, retiradas do dado. Por outro lado, essas mesmas categorias contempladas na Ciência da Lógica colocam-se novamente na realidade, servindo para a compreensão dos engendramentos básicos dos avanços espirituais, isto é, as categorias da lógica hegeliana tornam-se essenciais para uma adequada compreensão de sua filosofia real. Desse modo, permeando o trabalho, de forma tênue, há o objetivo de deixar apontada a direção em busca do aspecto fenomenológico da substância, na Fenomenologia do Espírito, bem como o papel ético de tal conceito, enquanto unidade imediata, na Filosofia do Direito.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
ANE BARBIERI, Greice. A relação de substancialidade na Ciência da Lógica. Revista Opinião Filosófica, [S.l.], v. 3, n. 2, fev. 2017. ISSN 2178-1176. Disponível em: <http://periodico.abavaresco.com.br/index.php/opiniaofilosofica/article/view/473>. Acesso em: 05 jul. 2020.
Seção
Artigos