A aproximação provisória de Strawson com o Naturalismo

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Carlos Alberto Miráglia

Resumo

O objetivo deste trabalho é examinar parte do desenvolvimento conceitual de um dos mais importantes debates filosóficos presenciado na metade final do século XX: a disputa entre Barry Stroud e Peter Strawson referente à validade e o status dos argumentos transcendentais. Em minha opinião, o percurso intelectual de Strawson, na tentativa de responder ao desafio de Stroud, apresenta estágios diferenciados que revelam uma primeira fase condescendente às críticas de Stroud, para finalmente reabilitar a pertinência técnica dos argumentos transcendentais. Veremos que a primeira alternativa de Peter Strawson foi retificar as limitações epistêmicas destes, subordinando-os aos tipos de verdades indubitáveis, em moldes inspirados por doutrinas naturalistas como a de David Hume e, segundo Strawson, também encontradas no pensamento do Wittgenstein tardio. Contudo, creio, é possível verificar, que em tempos ulteriores Strawson reabilitará a força cognitiva dos Argumentos Transcendentais em decorrência de uma nova explicação feita por ele do significado de análise e, consequentemente, o de prova filosófica. Concomitantemente, isto trará um novo entendimento do próprio conceito-chave da disputa: o conceito de experiência.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
ALBERTO MIRÁGLIA, Carlos. A aproximação provisória de Strawson com o Naturalismo. Revista Opinião Filosófica, [S.l.], v. 4, n. 1, fev. 2017. ISSN 2178-1176. Disponível em: <http://periodico.abavaresco.com.br/index.php/opiniaofilosofica/article/view/221>. Acesso em: 02 jul. 2020.
Seção
Artigos